No Hilton Barra, em cada andar e em cada quarto
você encontra uma obra de arte única!

No Hilton Barra, em cada andar e em cada quarto você encontra uma obra de arte única!

Lobby

Logo na entrada, uma escultura da artista plástica Iole de Freitas, criada exclusivamente para o hotel, chama a atenção. A obra, de mais de 20 metros de altura, é feita em chapas de policarbonato e tubos de aço, representando o elemento ar. Do hall dos andares do hotel é possível ver um pouco mais de perto essa incrível obra de arte.

O contraste da pedra com a madeira traz o elemento terra, representado pela imponente mesa de pequi assinada por Hugo França. Os arranjos de flores deixam o cenário ainda mais bonito.

No Abelardo Bar, esculpida em finas folhas de vidro, a imponente luminária de quase 2 metros de altura, é assinada pelo designer Daniel Jacek e forma um labirinto quando vista debaixo.

E as esculturas de Bruno Giorgi estão espalhadas pelo lobby do hotel decorando o ambiente e deixando ainda mais acolhedor.

Hall

Em cada andar, uma obra de arte diferente ao sair do elevador. No 2º andar a obra de Heliana Lustman, Vitórias-Régias (2014 – Óleo sobre tela), encanta quem passa pelo corredor.

No 3º andar, a obra de José de Arimatéia “Vista do Corcovado, Pão de Açúcar e Lagoa Rodrigo de Freitas” (2014 – Óleo sobre tela) representa o cartão postal do Rio do Janeiro e suas belezas naturais.

A obra do artista cubano Alejandro Lloret, no 6ª andar, impressiona quem sai do elevador. Com o nome “Saudades” (2012 – Óleo sobre tela) e tons de verde, a obra mostra a beleza da floresta.

E por último, as obras do artista Roberto Burle Marx também estão presentes no hotel. Os quadros “Lundo” (1993 – Serigrafia a cores impressa s/ papel) estão no 8º andar.

Quartos

A arte também está em nossos quartos! O quadro Marinha (1969), de Di Cavalcanti, retrata as mulheres cariocas. Apaixonado pela vida boêmia carioca, Di Cavalcanti pintou as mulheres em seus diversos momentos sob novos olhares para a época.

Próximo a poltrona do quarto e em destaque, o quadro Mulata na Janela (1969), do artista Di Cavalcanti, explora a diversidade da beleza feminina, trazendo para o centro de suas criações.